Primeiras impressões: Sleepy Hollow

No meio do mistureba que foi o piloto de Sleepy Hollow, uma questão permanece forte: como, com base nesse episódio, essa série foi aprovada?

Sleepy Hollow, a nova série de “fantasia” da Fox, estreiou no dia 16 de setembro. Admito que quando a série foi anunciada, meu coração deu aquela leve palpitada de esperança de algo relativamente bom, afinal ainda tenho fé em produções que envolvam o nome de Alex Kurtzman e Roberto Orci. Fica sim, ainda mais agradável quando esse tipo de produção tem a mão também do diretor Len Wiseman (Anjos da Noite, we love you. O primeiro é claro).

Mas essa leve palpitação lentamente começou a se transformar em taquicardia quando foi revelado que a série adaptaria para a atualidade a lenda de Sleepy Hollow. Como sou daquelas que não vê promo antes de ver a série, justamente para tentar manter intacto o fator surpresa, não estava remotamente preparada para a bomba que foi esse piloto. Nem nos meus piores devaneios, poderia imaginar que estaria diante de um piloto tão ruim como esse.

Juro que muitas vezes eu não entendo essa nova febre da indústria televisiva e cinematográfica de modernizar tudo que vê pela frente. Claro que tem casos como Bates Motel que dá certo, mas em muitos (a maioria) não. A lenda de Sleepy Hollow é um exemplo onde não havia necessidade nenhuma de modernização. Qual era o problema em fazer uma série de época e pronto?

A lenda de Sleepy Hollow é um conto escrito pelo autor norte americano Washington Irving e foi publicado pela primeira vez em 1820. Irving escreveu o conto quando morava em Birmingham, Inglaterra. A “lenda” se passa em 1790 no vale isolado de Sleepy Hollow, e conta a história de Ichabod Crane um professor extremamente desajeitado e supersticioso de Connecticut nos EUA, que compete com Abraham “Brom” Bones Van Brunt pela mão (e coração) da jovem Katrina Van Tassel, a filha de um rico fazendeiro, Baltus Van Tassel. Ichabod vê o casamento com Katrina como uma maneira de adquirir e fazer parte das riquezas e extravagâncias pertencentes a família Van Tassel. A competição entre Van Brunt e Crane é recheada de pegadinhas de mau gosto e como Sleepy Hollow é um vilarejo propício para histórias de terror e bosques supostamente mal assombrados tudo é possível. Então, em um certo dia Ichabod Crane se vê diante de um misterioso cavaleiro sem cabeça e seu destino muda.

Aqui em Sleepy Hollow, a série, Ichabod Crane (Tom Mison) não é mais um professor americano do outro lado do oceano e tão pouco desajeitado. Aqui ele é um soldado inglês em missão para o general e futuro presidente norte americano George Washington, durante a Guerra de Independência dos Estados Unidos. O primeiro contato que temos com Ichabod é no momento em que ele morre em 1781 e “ressuscita” em Sleepy Hollow em 2013. Esperando por ele (mesmo sem saber) em 2013 está Abbie Mills (Nicole Beharie) uma policial que para variar tem seu passado marcado por um evento triste e até então inexplicável. Ela, como manda o manual, é a única pessoa do lado do bem que acredita no homem do passado que morreu e ressuscitou no presente, até então tudo bem, afinal o encontro dos dois estava escrito nas estrelas, não desculpa, estava escrito na bíblia mesmo. Duas testemunhas unidas para lutar contra as forças do mal durante sete anos, batalha essa que ditará o destino do mundo no dia do julgamento final é muito clichê e até mesmo ultrapassado.

Katrina (Katia Winter), aqui devidamente sra. Crane, virou bruxa e responsável pela ressurreição de Ichabod e seu inimigo sem cabeça, já que agora eles estão conectados por sangue. Quero aproveitar e lembrar a todos que Ichabod, o original, desaparece de Sleepy Hollow e não se casa com Katrina.

O cavaleiro sem cabeça também sofreu um upgrade. No conto não sabemos exatamente a sua origem, inclusive teorias indicam que o cavaleiro na realidade é fruto de mais uma pegadinha de Van Brunt. Mas aqui não, aqui o cavaleiro sem cabeça é de fato um dos quatro cavaleiros do apocalipse.

E é assim, com uma mistureba que envolve símbolos maçons, mensagens e profecias bíblicas e até mesmo bruxaria que Sleepy Hollow chega. E no papel tudo isso soa até interessante, se não fosse pela pobre execução. Poderíamos até relevar muita coisa, afinal é de histórias assim que o público norte americano gosta, mas não podemos ignorar de jeito nenhum um roteiro tão vergonhoso e preguiçoso como esse que nos foi apresentado nesse piloto.

Sou fã assumida de Doctor Who, portanto não me importo com efeitos especiais quando a história é boa. Mas é muita mancada com o público quando a história é preguiçosa e ainda vem acompanhada de efeitos especiais vergonhosos. Está faltando dinheiro, Fox?

E o elenco? Vamos concordar que o Tom Mison é bem agradável de se olhar, mas isso não salva o quão forçado foi a sua visão de Ichabod Crane. Mas ruim mesmo é Nicole Beharie com suas caras e bocas que testaram de maneira esmagadora meu auto controle, já que muitas vezes estive a beira de socar o meu notebook. Gosto muito do John Cho portanto digo que o que me deixou mais feliz nesse piloto foi o destino de seu personagem (que admito nem lembrar do nome), afinal ele não merecia estar no meio dessa presepada, já basta o Orlando Jones ter caído nessa lorota.

Para vocês que gostaram do episódio, eu digo que a audiência do piloto foi boa, e eu sinceramente acho que a série vai para frente, afinal esse tipo de história previsível, mastigada e preguiçosa é bem a cara do público norte americano. E como sempre, eu fico aqui na esperança de queimar a língua mais para frente e espero também, para o bem daqueles que continuarão a ver a série, que  a equipe criativa pare de subestimar o público, deixem de preguiça e façam uma história boa, interessante e principalmente coerente. Mas lembrem-se que o  passado condena!

  • Rafael

    Eu achei o piloto legal, nada grandioso, mas nem perto do que você descreveu, e me desculpe mas você deveria estar vendo o piloto enquanto algum bicho te mordia.

    Eu achei os efeitos bem críveis, e nada vergonhosos, de novo, nada grandioso, mas não horríveis.

    Os personagens me convenceram, a história me convenceu, eu gostei do modo como foi explicada e amei não terem enrolado muito, coisa que muitas séries fariam, e que Sleepy Hollow não fez.

    Enfim, sinto muito que você não tenha gostado, só espero que semana que vem tenha outra pessoa fazendo a review, por que uma crítica tão sem fundamento quanto essa não vale a pena ser lida, preciosos 2 minutos gastos!

  • Aris

    Eis o que acontece quando alguém escreve sob o poder destruidor de uma forte TPM :-)

  • Van

    Difícil… Sem querer soar mimimizento e nem nada, mas é complicado ler um texto metralhando um episódio e pecando na forma de se expressar. Alguns trechos ficaram tão forçados e lugar-comum que chegou a colocar em cheque os argumentos utilizados.
    Além disso, e agora já caio numa questão estritamente pessoal, acho que review de piloto devia ser feita sempre abrindo margens para pontos positivos ou em potencial, mesmo quando for difícil.

  • Aris

    Fui ver as outras reviews da autora desta aqui e cheguei a conclusão de que quase todas as séries que ela resenha são inglesas. Não dá para comparar, não é?! As séries inglesas sempre vão ser mais inteligentes. Detonar uma série não britânica colocando-as no mesmo patamar é maldade :-D
    Eu amo séries inglesas e gostei muito de Sleepy Hollow. Aguardando pela participação do Noble.

  • Dinho

    Troquem essa Fernanda já. TODOS aqui perceberam que ela não é boa (para esse série).

  • Suzierly Roque

    Que isso gente? O Pilot não foi tão ruim assim.. E as coisas tem que ser diferentes mesmo! Qual é o ponto de fazer uma série idêntica a original? Vou assistir mais alguns episódios para então criticar série!

  • https://twitter.com/Doctor_Sam Doctor Sam

    Nossa, Fe, que coração peludo. Sério que você achou o episódio tão ruim assim? Pode ser pela minha ignorância de não conhecer a história original e não lembrar do filme do Tim Burton (se é que ele serve de referência), mas eu curti, sabe?

    Não é a série que vai mudar a tv americana, mas parece ser uma boa série pra se divertir, curtir umas historinhas malucas. Eu gosto de histórias apocalípticas, que envolvem bruxarias e tals, então não achei tão bizarra a mistura.

    Concordo com você que os protagonistas não são lá aquelas maravilhas e falta química entre eles – mas isso é coisa que pode vir a melhorar com o tempo. Mas não foi tão lixão assim, vai! rsrsrsrsrs

    Me animei pra ver pelo menos mais alguns episódios.

  • Fernando

    Péssima review, mesmo com a tua opinião pessoal, você foi completamente tendenciosa, e pior garanto que você vai continuar assistindo… deve ser tipo camis da vida, curte falar mal mas não larga o osso.

  • Guilherme

    Tem gente dizendo que só não gostou do piloto de Sleepy Hollow pois as explicações foram banais. Só tenho uma coisa a dizer : Gente vocês acham o quê ? Que a série vai dizer os segredos, os mistérios tudo no piloto ? ah eu em falando mal da série só por isso, falta do que fazer.

    PS : Confesso que também odiei a atuação daquela policial Abbie acho que é o nome dela

  • http://myanimelist.net/profile/BazimOZ BazimOZ

    Depois de ler essa review, torço ainda mais pra você queimar sua língua, a ponto de perde-lá.
    Sem mais, fica na paz!

  • Excelentíssima Magistrada

    Sherlock é horrível!

  • Sandra Gomes Silva

    Sherlock Horrivel? olha, Excelentíssima Magistrada você é a primeira pessoa que fala que essa série é ruim, sério mesmo? estou surpresa! ou você não assistiu e está dando opinião sem conhecer essa série incrivel e isso é um erro primário e fatal ou você não entendeu a história.

  • Compreendedor

    Deu pena da Fê, essa incompreendida.
    Meu, a mina apanhou pra cacete… que dó, que dó.

  • Vinícius Barros

    Fernanda, tô contigo! Esse piloto foi uma porcaria. Só consegui terminar de ver depois de muito esforço e várias tentativas!

    Ai, tudo muito brega. A atuação da policialzinha principal, oi? Menina, muda de carreira! Aí teve a mega revelação do final, super fodástica (só que não). Soma isso tudo aos defeitos especiais à la Power Rangers com direito a faisquinha e tudo = não, obrigado, até nunca mais.

    E pra quem tá reclamando da ótima review da Fernanda: gente, review é texto de opinião! Claro que vai ser ~parcial~, ~tendencioso~ (aliás, essas palavras não se aplicam nesse tipo de texto, ok?), afinal, são as impressões do autor (ou seja, próprias, pessoais, particulares) sobre aquele episódio específico. Você pode não concordar com a opinião, mas também não pode dizer que o texto está ruim: ele está bem escrito, bem embasado, bem pesquisado, tem uma sequência lógica. Se a opinião é diferente da sua, é a vida – cada um entende a produção de um jeito. Se quer expressar o que pensa, coloque seus motivos nos comentários para a discussão ser produtiva, em vez de usar argumentos vazios do tipo “ai que azeda”, pois só empobrecem a sessão de comentários.

  • rafa

    poutz a serie eh horivel meu.tomara q cancelem logo essa porra

  • Vitor

    Olha, concordo que review é texto de opinião, e que ficar te chamando de tendenciosa não é muito válido, mas você não acha que criticou de mais não? Deu a entender que você assistiu o episódio só para achar defeitos, se fosse para ser assim seria “10 coisas que não gostei em Sleepy Hollow”, não primeiras impressões… Mas como disse, review é review e opinião é opinião.

    Eu achei o episódio BEM confuso no começo, e até um pouco forçado, e sim, as atuações não foram das melhores, mas o episódio no geral foi bom. Apesar dos efeitos (coisa para a qual eu nem ligo, afinal assisto Once Upon a Time haha), acho que tivemos boas cenas de ação e até um drama legal.
    Achei tudo um pouco clichê, mas hoje em dia só 1% das histórias (seja em livros, séries ou filmes) não são nem um pouco clichês, então nos resta esperar para ver o que a série vai fazer para escapar desses clichês e se tornar única.
    A Abby me incomodou um pouco, provavelmente porque me lembra a Martha de Doctor Who, mas acho que ela tem potencial, principalmente com aquela história das árvores, afinal, o que seria de série sobrenatural sem um personagem com passado misterioso?
    O personagem principal, que nem me dou o trabalho de saber o nome, não me interessou nem um pouco, só em certas horas em que serviu de alívio cômico.
    Bom, pela audiência, parece que a série vai continuar, mas eu ainda esperaria uns 2 ou 3 episódios para julgar.

  • Alicia

    Parabéns pelo comentário, Sandra. Dó de quem acha Sherlock horrível, pois é uma das séries de mais qualidade no momento, o único defeito é o número pequeno de episódios por ano, pois eu queria muito mais. Mas temos que aproveitar, pois os atores são muito ocupados e tem uma carreira brilhante fora da série da também.
    “Oi? Sherlock te mandou um beijo!” haha, pensei exatamente isso!

  • Walber

    Não estava interessado por esse seriado, mas depois de tantos elogios fui dá uma olhada. Fiquei surpreso o quanto eu gostei, me entretive do começo ao fim do episódio.

    Não imaginava que tinha essa história apocaliptica, amarrada a essa do cavaleiro, fora a relação com a revolução nos EUA, ligado a fatos históricos e talz, achei bem bolado. Pareceu uma mistura boa de Sobrenatural + Cold Case + Jason.

    Os efeitos não me incomodam, só me incomodam de fato quanto é muito ruim. Gostei das atuações, a morena me convenceu, o carinha ficou devendo um pouco, mas a química dos dois eu curti. E curti ainda mais a Katrina, tomara que ela apareça mais na série.

    Vou continuar acompanhando, e realmente assisti o episódio depois de ler o review e não entendi porque tanta revolta com o episódio.
    Teve muito clichê no piloto, mas ainda assim, não desmerece toda a história criada no piloto ao meu ver.

    Só me incomodaram duas coisas, aquelas frases de “Vcs tem que salvar o mundo” e o cara se adaptou muito rápido ao choque com a nova realidade, mas como isso não é o plano de fundo da série, relevo.

  • Victor Crespo

    Podem polemizar, mas eu não gostei mesmo dessa série. Não vi promo, não vi nada, e não gostei.

  • Gustavo Castro

    Gente , não sei se foi por eu ter colocado as minhas expectativas lá embaixo sobre ”Sleepy Hollow” , mas eu achei o piloto BOM , não perfeito ,mas BOM !
    Eu entendo muito bem a frustração da Fernanda , e concordo com ela , que em alguns momentos eles perderam um pouco de coerência ao longo do piloto. Eu só acho que , o fato de eles terem inserido o universo bíblico à mitologia da série foi uma maneira de nutrir um tema que já está um pouco desgastado, afinal de contas , “A lenda do cavaleiro sem cabeça” não é nenhuma novidade. Enfim , gostei muito do ritmo do piloto , 45 minutos que eu nem vi passar , continuarei acompanhando pra ver no quê vai dar.

  • Sandra Gomes Silva

    Pois é Alice, sinceramente alguém que escreve que a série é horrível sem qualquer argumento, não dá para ser levada a sério,né?
    Quanto a Sleepy Hollow ainda não vi o piloto e depois de assistí-lo, venho aqui e deixo meu comentário. Para mim a série parece que vai ser boa sim. As vezes o episódio piloto é morno, mas vamos ter a mente positiva ;)

  • Henrique

    Não acho que ela tenha querido dizer que Bates Motel é o ÚNICO exemplo de modernização que deu certo…

  • Henrique

    “Qual era o problema em fazer uma série de época e pronto?”
    Com séries de época não dá pra fazer merchandising heheh (sempre achei que era isso)

  • Alex

    gente, que texto mais raivoso, hahahahaha está mais claro que água que a autora da resenha é fã da história de Sleepy Hollow e esperava uma nova série de fantasia que arrebataria audiências, prêmios e elogios da crítica blasê trazendo textos filosóficos sobre a lenda do cavaleiro sem cabeça e os dilemas da solidão humana e seus medos zzzzzz

    Achei a série legal, pelo menos o piloto foi fiel à sua proposta, acho que merece um voto de confiança

  • Flávio St Jayme

    Mais um review do site que exagera e é instantaneamente “desmentida” pelos fatos, afinal no 3o episódio a série ja foi renovada pra 2a temporada. O Série Maniacos ta ficando cada vez pior…..

  • http://www.seriemaniacos.com.br/ Michel Arouca

    A renovação desmente o fato de que a pessoa que escreveu o texto não achou o piloto bom? Num tendi.

  • Camila

    Nao gostei do piloto, mas vamos ver onde a serie nos leva…