As 20 melhores performances da 5ª temporada de The Voice, parte 1

Uma justa homenagem àqueles momentos que transformaram a quinta temporada do The Voice na melhor jornada entre todos os realities musicais de 2013.

Está decidido. É tradição fazer um Top de fim de temporada com as melhores performances do The Voice, como publicado por mim ao fim do quarto ciclo do reality. Na ocasião, a sensação geral nos comentários foi de que eu havia espremido a temporada ao máximo para tentar aproveitar 20 performances, o que acho compreensível, mas não 100% verdadeiro – por pior que tenha sido a temporada, suas fases iniciais nos haviam dado momentos que valiam a lembrança.

Acontece que estivemos diante de uma quinta temporada que foi o extremo oposto da anterior. Por isso, me senti obrigado a abortar a ideia de reduzir o Top 20 para um Top 10. Seria mais fácil de fazer, com certeza, e daria mais valor às performances escolhidas. Mas simplesmente não seria justo com uma temporada que entregou muito mais de 10 performances excelentes e extremamente impactantes.

E acreditem, mesmo com 20 performances, houve cortes brutais. Para chegar às apresentações selecionadas, precisei afunilar meus critérios até deixar de lado umas três ou quatro que deixaram meu coração partido em mil pedaços ao serem excluídas da lista. Critérios que necessariamente levam em consideração performance vocal, carisma, capacidade de disseminar com excelência a mensagem da canção, resposta do público e, principalmente, originalidade e capacidade de nos surpreender.

Assim sendo, não espero que vocês concordem com o meu ranking e acredito que alguns sentirão falta – e isso será muito justo – de algumas apresentações aqui. Ainda assim, espero que embarquem comigo nesta que pra mim foi uma deliciosa jornada ao longo daquela que foi a melhor temporada da história do melhor reality da atualidade. Vamos então, para as posições 20 a 11, que contemplei nesta primeira parte do nosso Top:

20. Jacquie Lee – Stompa (Serena Ryder)

Coach: Christina.

Etapa: Knockouts.

Pode parecer ruim estar na vigésima posição aqui, mas a satisfação que toma conta de mim ao começar esta lista escrevendo sobre Jacquie Lee é uma coisa linda! Apesar de Jacquie só ter realmente se consolidado como front runner da competição na etapa seguinte, foi com “Stompa” que vimos seu breakout moment, foi aqui que Jacquie obrigou até os mais céticos (o/) a prestar atenção nela. Isso porque, além da escolha de repertório originalíssima e maravilhosa e da execução absolutamente perfeita, até hoje é “Stompa” que representa melhor o tipo de música que Jacquie precisa gravar para tentar uma carreira próspera aqui fora.

19. Juhi – Mercy (Duffy)

Coach: Cee Lo.

Etapa: Blind Auditions.

Sem dúvida alguma a cantora mais subestimada de toda a competição nesta temporada, Juhi foi um dos destaques das blind auditions ao cantar uma música bastante saturada da maneira mais original já interpretada em realities. Com seu jeitinho sapeca, Juhi encantou com suas inflexões características, que dão a qualquer canção que ela interpreta uma sensação de originalidade que nenhum outro artista conseguiu imprimir nesta temporada. Ou ao menos, não com um clima tão próximo ao de uma música praticamente autoral como pareciam as performances de Juhi.

18. Holly Henry – The Scientist (Coldplay)

Coach: Blake.

Etapa: Blind Auditions.

Como não nos lembrarmos da garotinha etérea que desafiou o status quo espaço-temporal e nos transportou para outra dimensão quando nos entregou essa belíssima performance de “The Scientist”? Algumas falhas vocais estiveram ali, é verdade, mas nada neste mundo precisa ser perfeito para valer a pena. E, por mais que a menina tenha caído drasticamente de produção nas fases seguintes, fica aqui a homenagem àquela que considero a melhor blind da temporada, uma verdadeira brisa de ar fresco em uma temporada com audições surpreendentemente mornas.

17. Jacquie Lee – Cry Baby (Janis Joplin)

Coach: Christina.

Etapa: Top 6.

Jacquie Lee foi uma artista que sem dúvida alguma polarizou bastante o público do programa, e, dentro desse contexto, “Cry Baby”  foi a performance mais polarizadora de toda a jornada da cantora. Mas isso apenas a eleva à condição de destaque na temporada, sendo o momento em que Jacquie Lee foi capaz de interpretar uma das canções mais memoráveis do repertório da lenda chamada Janis Joplin sem que o resultado fosse uma mera cópia. Jacquie Lee não se preocupou em ser Janis, se preocupou apenas em ser Jacquie, e entregar mais uma de suas performances avassaladoras que permearam a temporada.

16. Cole Vosbury – Adorn (Miguel)

Coach: Blake.

Etapa: Top 12.

O Top 12 do The Voice foi uma noite inacreditável até mesmo para quem já está acostumado com o nível das performances do The Voice, e quem inaugura a lista de performances memoráveis daquela semana é justamente Cole Vosbury, que conseguiu me pegar completamente desprevenido ao entregar uma versão totalmente própria de uma música que era aparentemente tão distante do estilo do cantor. Com seus agudos excepcionais e um bom trabalho de palco que deixaram saudades (porque nunca mais foram repetidos tão bem enquanto ele ainda estava na competição), Cole mostrou que por trás de sua aparente calma e de sua aparência peculiar, não é necessário ser Miguel para mostrar sex appeal cantando.

15. Matthew Schuler – Cosmic Love (Florence + The Machine)

Coach: Christina.

Etapa: Knockouts.

Matthew Schuler fez parte da melhor disputa da fase de Knockouts da quinta temporada (e provavelmente de todas as temporadas de todas as versões do programa pelo planeta afora). Mostrando uma coragem admirável ao transpor os marcantes vocais de Florence Welch para uma voz masculina, Matthew atacou a música como se sua vida dependesse disso, e saiu vitorioso nesse embate, acertando nota por nota e segurando vocais difíceis de se levar com a perfeição que o cantor levou até o fim. É claríssimo o grito de “EU QUERO VENCER ESTA BAGAÇA!!!” vindo de dentro de Matthew ao longo dessa apresentação. Não venceu o programa, mas certamente ganhou muitos fãs depois disso.

14. James Wolpert – A Case of You (Joni Mitchell)

Coach: Adam.

Etapa: Live Playoffs.

James passou a temporada inteira tentando se vender como roqueiro, mas foi com essa performance intimista, voz e violão, que ele conseguiu mostrar por que merecia uma vaga no Top 12 de uma temporada de nível tão alto. O suave começo foi pavimentando o caminho para a intensidade característica de James ao longo da performance, que contou com uma precisão surpreendente em relação às notas acertadas e até um melisma executado com perfeição no final. Se a performance não conseguiu uma posição melhor nesta lista, é apenas porque eu tiraria um pouco do vibrato que James tem mania de usar em suas apresentações. Mas o mais interessante é que agora, dispondo de todo o corpo de trabalho de James e dos concorrentes durante a temporada, passei a gostar ainda mais de “A Case of You” do que gostei na ocasião em que ela foi apresentada.

13. Will Champlin – At Last (Etta James)

Coach: Adam.

Etapa: Top 8.

O grande momento de Will Champlin durante a etapa de live shows não poderia ficar de fora da lista. O rapaz, que estava cada vez mais apagado desde o seu retorno ao Team Adam, decidiu variar o repertório e sair do rock que vinha entregando exaustivamente e que não lhe dava condições de brilhar. Com o clássico de Etta, Will mostrou mais uma de suas inúmeras camadas e surpreendeu com tamanha entrega, atingindo aquela que talvez seja a nota mais alta executada por um participante do sexo masculino nesta temporada. A meu ver, essa foi a performance que deu a Will a propulsão necessária para chegar merecidamente à final do programa.

12. Jacquie Lee – Who’s Loving You (The Miracles)

Coach: Christina.

Etapa: Top 8.

Tessanne Chin pode ter vencido o programa, mas um mérito de Jacquie Lee ela jamais terá: ter nos dado o gostinho de um começo de música a capella realizado com absoluta perfeição. Pra mim, esse é o principal mérito de “Who’s Loving You”, que mostrou uma Jacquie completamente recuperada da tragédia da semana anterior e ainda evidenciou, em VT, todo o excelente processo de coaching de Christina com sua pupila – é claro que isso significa que absolutamente tudo o que Jacquie fez no palco foi spoileado minutos antes de acontecer, mas tudo tem um ônus nesta vida.

11. Tessanne Chin – Bridge Over Troubled Water (Simon & Garfunkel)

Coach: Adam.

Etapa: Top 5.

Encerramos a primeira metade do ranking com o primeiro #1 da carreira de Tessanne, uma interpretação extremamente memorável de um dos maiores clássicos de Simon & Garfunkel. A canção já foi apresentada incontáveis vezes em realities musicais (inclusive no The Voice Brasil, mas vamos tentar apagar esse momento da nossa memória, sim?), mas nenhuma delas com a competência de Tessanne. E a segurada de nota de quinze segundos não vai sair da minha mente tão cedo.

Menção honrosa: Team Xtina – Black Cat / Scream / Bad (Janet & Michael Jackson)

Sendo direto: apenas a melhor performance de um time na história do programa, com direito a X na cara das inimigas.

E aí, o que acharam da primeira parte do nosso Top? O que não pode faltar no Top 10? Mandem ver nos comentários e até lá!

  • Ingrid

    Bridge Over Troubled water em 11º? Uma apresentação verdadeiramente emocionante, sem firulas cênicas (como muitas apresentações de Jacquie) e com uma killing note de 15 segundos…em 11º. Ok… ¬¬’

  • Luiz GustavoCristino

    É a minha avaliação, Ingrid. Fique à vontade para fazer a sua (para a qual possivelmente outras pessoas farão ¬¬’ também, é a vida).

  • Henrique Junqueira

    pra mim tiveram varias audições melhores audições do que a da holly, só ver o que matthew fez, e ainda coloco na frente dela o james irwin(que a meu ver perdeu injustamente da grey), tessanne chin, preston pohl e austin jenckes.